Janelas para o Capibaribe.


Há quem diga que os olhos,
são as janelas da alma,
e que devemos com calma,
cuidar do exterior.
Que caía a chuva,
que reine o sol,
ou que faça frio,
na beira do Rio,
devemos plantar,
só pé de fulô.

Vamos escancarar,
as nossas janelas
e por meio delas,
olhar pra Poção.
Pra nascente do Rio
Que desce a serra,
lavando o meu

e o teu coração

Sua areia é santa.
Santa é sua água.
Santo é o mar,
onde o Rio desagua.

Santa é a fonte,
fonte tão cristalina,
que lembra o olhar
de uma linda menina..

A água que brota
dos olhos que choram
sentindo a dor da destruição,
sufoca a voz que grita e clama,
a voz que reclama, da poluição.

Insana,

é a mente de quem o maltrata.
Insano,

é quem deixa o Rio morrer.
Insana,

é falta de quem o proteja.
insano sou eu, somos nós, é você.

Ave Capibaribe,
tão cheio de graça
perdoe as desgraças
causadas por nós.
Bendito sois vós
entre todos os rios.
Bendita é a água.
Bendita é a água
Bendita é a água,
que corre em seu leito.

Rodrigues Lima
São Paulo - Novembro/2012

Por Emanoel Glicério |

0 comentários: