Toda a imprensa pernambucana deveria estar batendo na mesma tecla desde 2011. Sem parar, sem trégua. Porque daqui, do bem bom, é muito difícil ter a mais vaga ideia do tamanho do pesadelo enfrentado por milhares de famílias do Sertão e do Agreste, que há mais de dois anos despediram-se do verde e da esperança de atravessar esta seca com alguma dignidade – ao menos dispondo do mínimo. 

Se textos e imagens sobre o assunto são vistos uma vez na vida, outra na morte, quem vive perto do mar enxerga o flagelo com a mesma indiferença com que assiste à miséria engolir populações no Norte da África.

Também neste caso, funcionaria o provérbio "água mole em pedra dura ...", porque os governos, federal e estadual, entenderiam que apesar dos investimentos em obras hídricas e abertura de linhas de crédito a juros amenos, para quem perdeu tudo, o desespero só aumenta. Ainda é muito pouco. E o insistente discurso político de que ao menos desta vez não está havendo saques (em tese, como resultado da briga pela sobrevivência), não ajuda nem modifica nada. 

Houvesse persistência por parte dos meios de comunicação, o povo que mora perto do mar teria bem mais estímulo para se unir numa cruzada contra o sofrimento de saber urubus rondando leitos de rios vazios, lavouras e cercados, onde antes havia trabalho – e assim, dignidade. 

Paro agora para avaliar uma notícia recém-chegada: o Festival Nacional de Jericos de Panelas (Agreste), que deveria acontecer no 1º de maio, pela primeira vez em quarenta anos, foi cancelado. 

A cidade entrou em completo colapso, sem abastecimento de água há mais de dois meses e sem a prometida transposição emergencial da Barragem Patameiro, anunciada pela Compesa. 

Só falta alguém sugerir que quem quiser matar a sede, que beba as próprias lágrimas. 

Por Luce Pereira

Por Emanoel Glicério | Marcadores: ,

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    A presidente Dilma e os governadores do nordeste(pernanbuco Eduardo Campos), sabiam da previsão desta seca continua, desde 2010 e o que fizeram? O palitivo de sempre. Já com a construção de estádios de futebol para copa, seus eles não hesitaram de bancar milhões dos cofres público para soerguer os mesmo.Com o apoio dos politicos de situação e oposição.Tamos fritos com estes representates que elegemos em cada eleição!!!