O senador mineiro Aécio Neves (PSDB) chegou ao Recife, nesta quinta (29), para um encontro com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Antes do jantar começar, criticou o governo Dilma Rousseff, inclusive afirmando que o apagão no Nordeste foi "falta de planejamento". “A lógica é perversa, mas o que salva o governo de apagões é o crescimento pífio do Brasil”, disse. O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), o deputado federal Sérgio Guerra (PSDB) e o senador paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB) também participaram do encontro, que aconteceu na casa de Campos, no bairro de Dois Irmãos.

"O encontro foi positivo. Temos, em muitos estados, sinergias e sobretudo temos responsabilidade com o Brasil. O exercício aqui é poder conversar", disse Campos.

O tucano afirmou que veio apenas retribuir uma visita que Campos lhe fez há cerca de um mês, sem detalhar a agenda da conversa nem confirmar se faria um convite para compor uma chapa entre os partidos para a disputa das eleições presidenciais em 2014. "Eu nunca escondi que gostaria muito de um dia estar numa nova agenda do Brasil, iniciando um novo ciclo de eficiência na gestão pública, de ética e transparência, de resultados concretos, ao lado do governador Eduardo. Se isso for possível, acho que quem ganha é o Brasil", afirmou.


"Cada um, ao seu jeito, vai ajudando a construir [o novo ciclo]. A gente não tem que, necessariamente, concordar sobre tudo, estar no mesmo espaço político para construir uma nova prática política no Brasil. A lição que fica é a necessidade de dialogar, respeitar as diferenças, a convergência sobre assuntos que sejam graves para a vida Brasil, não ter aquela visão que só a gente está certo", disse Campos.

O senador Aécio acredita que o fato de o governador estar em um campo político diferente - o PSB faz parte da base do governo Dilma Rousseff - não atrapalha o diálogo. "Eu respeito tanto Eduardo, a nossa relação vai muito além das circunstâncias políticas. Seja qual for a decisão dele, terá o nosso respeito. O que eu posso dizer, de forma clara, é que o governador tem contribuído e continuará a contribuir muito para o grande debate nacional. Ele tem informações, experiência e espírito público, e é dessa forma que eu venho hoje visitar o meu amigo", explicou.

Aécio também comentou sobre possíveis palanques com PSDB e PSB juntos em outros estados. "Não entramos nesse detalhamento, mas temos uma convivência em muitos estados, a começar pelo meu próprio, Minas Gerais, onde essa convivência é antiga, desde a minha primeira eleição para governador. Em estados como São Paulo, essa parceria é muito sólida, e ela se espalha por todo o Brasil. Eu não vejo dificuldade nenhuma em determinados estados nós estarmos juntos, no mesmo palanque", disse.

O tucano destacou a longa relação de amizade com Campos, com quem diz estar conversando muito pelo fato de se indentificarem em diversas pautas e projetos. "Há um desprezo [por parte do governo federal] pela federação. Esse talvez seja o maior ponto de convergência entre o governador Eduardo e eu. Os estados e municípios estão com imensa dificuldade, arcando com uma conta alta na saúde, na segurança pública. E quando as ideias e convicções se aproximam, na verdade, as pessoas acabam se aproximando", explicou.

Apagão

Na quarta-feira (29), o Nordeste ficou às escuras, e sobre esse fato, o senador disse que consultou especialistas. "Eles dizem que falta planejamento nessa área. Tivemos problemas sérios nessa área lá atrás [quando o PSDB era situação], não escondemos isso, mas agora eu quero é pensar no futuro. Nós temos, mais que fazer comparações, ver como planejarmos os investimentos para que não haja novos apagões no futuro. O Brasil precisa de planejamento, eficiência na gestão pública, chega de aparelhamento da gestão, de obras superfaturadas que não são entregues", criticou.

Do G1

Por Emanoel Glicério | Marcadores: , ,

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    A máfia estar posta!