Pesquisa foi divulgada nesta sexta pelo site de 'O Estado de S. Paulo'.
Levantamento ouviu 2.002 pessoas em 143 cidades entre os dias 15 e 19.


A aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) alcançou 38%, segundo pesquisa Ibope realizada em parceria com "O Estado de S. Paulo" e concluída na segunda-feira (19), segundo informou nesta sexta-feira (23) o site do jornal.

A pesquisa entrevistou 2.002 pessoas entre os dias 15 e 19 de agosto, em 143 municípios de todas as regiões. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O percentual de 38% corresponde ao dos entrevistados que consideram o governo "ótimo/bom". Antes, a aprovação do governo estava em 31%, de acordo com uma pesquisa do instituto divulgada em 25 de julho.

De acordo com o site, o percentual de entrevistados que avaliam o governo como "ruim" ou "péssimo" caiu de 31% para 24% e o percentual de "regular" permaneceu em 37% – 1% não souberam ou não quiseram responder.

Segundo o site do jornal, a recuperação da aprovação do governo Dilma foi registrada principalmente nos estados do Sul, onde a taxa de aprovação cresceu 12 pontos, e no Sudeste, onde o aumento foi de 11 pontos.

O governo Dilma tem uma avaliação 11 pontos maior no interior do que na capital: 30% das pessoas nas capitais consideram o governo ótimo ou bom nas capitais contra 41% no interior.

Aprovação pessoal 

A pesquisa Ibope, além de medir a aprovação ao governo como um todo, avaliou a opinião dos brasileiros sobre a atuação pessoal de Dilma Rousseff. Nesse caso, houve uma virada: por margem apertada, a maioria agora aprova a presidente.

Após levantamento anterior mostrar que o indíce dos que desaprovavam Dilma ter superado os que aprovam, em 49% contra 45%, agora pesquisa divulgada nesta sexta indica o inverso. Agora, 52% estão satisfeitos com a presidente Dilma contra 43% de insatisfeitos.

No Nordeste, 59% aprovam a maneira como Dilma governa. No Sul, esse índice cai para 45%. A aprovação é maior nas faixas de renda e escolaridade mais baixas.

Confiança

A taxa dos que dizem confiar na presidente aumentou de 45% para 51%. Os que não confiam nela são agora 44% contra 50% da pesquisa anterior.

Lula e FHC

Comparação com seu antecessor mostra que Dilma tem taxas superiores às de Luiz Inácio Lula da Silva após dois anos e oito meses de mandato. Em agosto de 2005, Lula era aprovado por 45% dos eleitores, segundo pesquisa Ibope da época.

Já em comparação com o tucano Fernando Henrique Cardoso, Dilma tem avaliação pouco inferior. Em agosto de 1997, FHC era aprovado por 55%.

Por Emanoel Glicério | Marcadores: ,

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Votarei mais uma vez em Dilma, pois acredito muito na sua honestidade.Até hoje não houve nenhum escândalo no seu governo, e quando se propagou algum,ela teve pulso forte para demitir os acusados mesmo que fossem seus aliados.