Uso de esteróides anabolizantes e os sérios danos a saúde

Os esteróides anabólicos ou anabolizantes são hormônios que aceleram processos metabólicos. São eles muitas vezes um suplemento para hormônios que já produzimos. No uso terapêutico, o esteróide anabolizante ajuda a corrigir alguma deficiência, porém infelizmente o mais comum é ser aplicado por motivos estéticos para ganho de massa muscular.

O uso indiscriminado desse tipo de substância gera sérios efeitos colaterais, tais como: o aumento do risco de tumores hepáticos, elevação de colesterol, aumento da pressão arterial, problemas cardiovasculares, perda óssea e impotência. Além disso, também há efeitos psiquiátricos como depressão e aumento de agressividade.

Além de danos relacionados as funções do órgãos, os tecidos também sofrem muito com essa prática, pois os tendões, ligamentos e o tecido ósseo na maioria das vezes não são capazes de acompanhar o crescimento muscular, assim não suportando o peso da musculatura e gerando problemas posturais e osteoarticulares.

As mulheres que são representantes consideráveis do uso, são as mais suscetíveis aos maiores prejuízos quando o uso do esteróide anabolizante é por sua vez combinado com a pílula anticoncepcional potencializa, essa mistura aumenta ainda mais o risco de trombose, AVC, infarto, colesterol e alterações hepáticas.

Apesar de não viciar, os esteróides anabolizantes causam certa dependência emocional. Muitos jovens passam a usar esse tipo de substância cedo e se apegam aos seus efeitos estéticos rápidos. A interrupção do uso de esteróides anabolizantes também é outro momento perigoso. Quando a pessoa para de usar essas substâncias, desregula seu eixo hormonal, podendo sofrer ganho de peso e desenvolver problemas como hipotireoidismo. Não existe um prazo definido para que o corpo fique “limpo”, já que os efeitos adversos podem ser levados para o resto da vida.

Em alguns casos, a substância pode ser receitada pelo médico para auxiliar no equilíbrio hormonal após alguns tratamentos ou em situações específicas, como baixo desenvolvimento maturacional ou situações de incapacidade física. Levando em consideração características físicas, fisiológicas e psicológicas do paciente.

Então, caros amigos leitores, são notáveis a indicação por instrutores de academias e pessoas que pregam “vender” a estética desejada em um prazo curto. O que é oferecido “de graça” é perigoso, normalmente envolve um engodo ou uma obrigação oculta.

Lembrem-se: Uma alimentação saudável e balanceada e a prática de exercícios acompanhados por um profissional de Educação Física regulamentado pelo sistema CONFEF/CREF já são suficientes para um ótimo resultado de saúde e estética.

Reflitam e pratiquem saúde. Até a próxima.

Prof. João Paulo Clemente da Silva. CREF 5529-G/PE

Sugestões, críticas, dúvidas: profjpfisio@gmail.com

Por Emanoel Glicério |

0 comentários: