Sexagenária e muito encantadora

Era uma terça-feira 29 de dezembro. O ano era 1953. A Vila de Santa Cruz esperava ansiosa pelo resultado da 5ª tentativa de emancipação política. Todos por aqui – ou quase todos – queriam ser independentes de Taquaritinga do Norte, e assim, poder caminhar com as suas próprias pernas. Realizar seus próprios projetos.


A notícia da aprovação da Lei nº 1.818/53, que criou o novo município de Santa Cruz do Capibaribe, transformou isso aqui em um carnaval em pleno mês de dezembro. Todos queriam se dirigir até a casa de Raymundo Aragão para juntos festejar a liberdade tantas vezes desejada. A Sociedade Musical Novo Século, a Banda de Pífano dos Negros do Alto, comerciantes, educadores, políticos, trabalhadores, donas de casa e até crianças, eram uma felicidade só. Como forma de responder a alguns poucos que eram contrários à idéia de emancipação, Raymundo Aragão, mandou o seguinte recado: “cuidem de Taquaritinga que Santa Cruz se libertou!”

Em sua primeira década Santa Cruz do Capibaribe era destaque pela sua produção de carvão vegetal, sua produção de algodão e grandes nomes na pecuária. Ainda nos anos 60 recebeu agência bancária, energia elétrica e água encanada vinda de um manancial construído no sítio Bandeira, município do Brejo da Madre de Deus. Aos vinte anos, além de um comércio promissor, já exportava alguns milhares de peças de confecções. Nessa década realizava o mais animado São João do Agreste com os clubes 13 de Maio, Ypiranga e Novo Clube. A partir dos trinta anos tínhamos a maior feira de sulanca – senão a única – do Brasil e a cidade contava com seis agências bancárias e já tinha até emissora de rádio. Quando festejou quarenta anos de emancipação política, era a cidade que mais crescia em Pernambuco; o menor índice de desemprego do país e uma das maiores rendas per capita do Estado. Com a chegada do século XXI veio o cinquentenário e o surgimento do Moda Center Santa Cruz, considerado o 2º maior centro de comércio popular da América do Sul.

Completamos agora 60 anos de emancipação política. Comemoremos as nossas conquistas. Somos a maior cidade do Agreste Setentrional de Pernambuco; temos o maior PIB do Estado de Pernambuco e uma população de confeccionistas e trabalhadores de diversos segmentos que só enaltecem o nome de SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE.


Por José Oliveira de Góis

Por Emanoel Glicério |

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    SÓ COMETERA UM ERRO AO DIZER QUE SANTA CRUZ TEM O MAIOR PIB PER CAPITA DO AGRESTE, ESSE TÍTULO QUEM TEM É BELO JARDIM, É SÓ CONSULTAR O IBGE CIDADES.INCLUSIVE FOI DIVULGADO AGORA EM DEZEMBRO E NOSSA CIDADE CONTINUA NA FRENTE DE TODAS DO AGRESTE.
    JOSENILDO